Painel de Controle

Dicas e conteúdo para o seu negócio decolar.

> Como Melhorar a Saúde do Caixa da Minha Empresa?

Como Melhorar a Saúde do Caixa da Minha Empresa?

por Douglas Gayo

Como Melhorar a Saúde do Caixa da Minha Empresa?

Você deseja descobrir uma forma de melhorar a saúde financeira do caixa da sua empresa?

Então a matéria de hoje é para você.

Já te disse outras vezes que os teus estoques representam a maior parte do desembolso mensal da sua empresa. Uma alternativa muito eficiente para você blindar o caixa da sua empresa é diminuir o volume destes estoques.

Além de minimizar o risco de obsolescência você ainda diminui o volume de boletos que tem para pagar. E de quebra diminui a imobilização de capital financeiro da sua empresa.

Entenda que qualquer produto comprado para revenda, ou industrializado pela sua empresa que represente um volume maior do que seu cliente está disposto a consumir é desperdício de recurso. Leia-se imobilização de capital financeiro desnecessário.

Nossa matéria de hoje fala de uma ferramenta que pode te ajudar a minimizar o volume mensal de compras da sua empresa. Alinhando o volume de produção ou compra de produto para revenda com o ritmo em que o seu cliente está disposto a consumir seu produto.

Hoje você vai aprender a calcular o índice de eficiência das suas compras em apenas 3 passos.

 

1º – Medir o volume de venda ou consumo de insumos

Você deve medir o volume de insumos consumidos no mês. No caso de sua empresa ser uma indústria, ou a quantidade de produtos vendidos no caso da sua empresa ser um comércio. No segundo caso, este valor é representando pelo custo da mercadoria vendida (CMV), também conhecido como custo do produto vendido (CPV). Deve-se frisar que esses valores devem ser expressos em moeda corrente (R$). E sempre pelo preço de custo (valor de aquisição do fornecedor) para que você tenha uma referência válida.

 

2º – Medir o volume de compras

Você deve medir o volume de compra deste mesmo insumo (indústria) ou do produto para revenda (Comércio) para criarmos uma referência. Ratificando que esses valores também devem ser expressos em moeda corrente (R$) e pelo preço de custo sempre.

 

3º – Calcular o índice de eficiência das compras

Utilizando-se da fórmula abaixo você pode calcular o índice de eficiência das compras da sua empresa:

 

Índice de Eficiência das compras (IEC) =        Custo do produto vendido (CPV) do mês * 100

                                                                                                         Valor das compras do mês

 

Vamos ao exemplo para facilitarmos o entendimento:

 

No mês de outubro de 2017 o Sr Zé do Trambique vendeu 100 unidades de um determinado produto da sua empresa: o “engana senhoras desavisadas”. Também conhecido como “ESD”. Cada produto foi vendido por R$10,00. Atingindo assim uma receita de R$1.000,00.

Cada unidade do “engana senhoras desavisadas” custou para o sr Zé do Trambique R$4,00 reais. Ou seja, o custo da mercadoria vendida da empresa do sr Zé do Trambique representou R$400,00. 100 unidades vendidas multiplicadas pelo custo unitário de cada uma.

No mesmo período o sr Zé comprou do seu fornecedor 200 unidades do mesmo produto para repor seus estoques. Cada unidade custou novamente R$4,00 totalizando uma compra de R$800,00.

Com essas informações na mão podemos ajudar o sr Zé do Trambique a calcular o índice de eficiência das suas compras no mês de outubro/2017:

 

IEC = 400,00   * 100 = 50,00%

800,00

 

Portanto, o índice de eficiência das compras do sr Zé do Trambique foi apenas 50,00%. Como referência adota-se que um bom índice de eficiência seja um número igual ou superior a 100,00%. Se sua empresa atingir 100,00% significa que o ritmo das suas compras está exatamente alinhado com a velocidade em que seu cliente está disposto a consumir seu produto. Assim você estaria evitando comprar insumos e ou produtos desnecessariamente.

Caso o índice de eficiência das suas compras esteja muito baixo, você está gastando dinheiro desnecessariamente. Prejudicando a saúde financeira do seu caixa, e aumentando o risco operacional da sua empresa, uma vez que estará imobilizando desnecessariamente capital financeiro. Neste cenário muito provavelmente você terá um estoque muito elevado com giro baixo.

Lembre-se: se você compra um produto por R$4,00 e vende por R$10,00 você só vai realizar esse lucro quando vende-lo e efetivamente receber o valor.

Douglas Gayo

MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). MBA em Finanças pela Unochapecó. MBA em Engenharia da Produção pela Unochapecó. Graduado em Ciências Contábeis pelo IBES/Sociesc. Atua como assessor financeiro com foco em Gestão Estratégica de Capital de Giro; Gestão Estratégica de Resultados; Gestão Estratégica de Custos; Captação de Recursos Financeiros de Longo Prazo; Planejamento Estratégico; e Modelagem de Novos Negócios. Sócio fundador da Vettor Gestão Empresarial, empresa que atua com assessoria financeira. Instrutor de Treinamentos na área de Gestão Estratégica de Capital de Giro. Membro do Núcleo das Assessorias e Consultorias da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC), onde é membro desde o ano de 2013.
Douglas Gayo

Últimos posts por Douglas Gayo (exibir todos)


Sobre o blog

O Painel de Controle é um blog com dicas, notícias e conteúdos para o seu negócio decolar. Confira também canal no Youtube.

A Vettor te ajuda na difícil tarefa de gerenciar uma empresa, fornecendo as melhores soluções de gestão e melhorando seus resultados financeiros.